Postagens

O Ensino Híbrido: emergência ou tendência?

José Moran   - Blog Educação Transformadora No ano mais extraordinário das nossas vidas, começamos nas escolas na sala de aula presencial, depois fomos empurrados para o ensino remoto possível e estamos no processo de retorno testando diversos formatos de modelos híbridos.  Constatamos que muitas das atividades que imaginávamos que fossem viáveis só no presencial (como a aprendizagem por projetos, em times, maker ) puderam ser realizadas com bastante qualidade, nos ambientes digitais síncronos e assíncronos, embora não por todos. A separação entre espaços físicos presenciais e digitais diminuiu, se reconfigurou - como em outras áreas da nossa vida - e há um crescente consenso de que construiremos, a partir de agora, muitas propostas diferentes de ensinar e de aprender híbridas, mais flexíveis, personalizadas e participativas, de acordo com a situação, necessidades e possibilidades de cada aprendiz. No Brasil, o híbrido começou nos anos 90 como semipresencial. No Ensino Superior os c

Avanços e desafios na educação híbrida

  José Moran   Educador, pesquisador e designer de ecossistemas inovadores na Educação Blog Educação Transformadora   Introdução Venho acompanhando, vivenciando e pesquisando nestes últimos trinta anos a riqueza de propostas e possibilidades de mesclar espaços, atividades, tempos com presença física e digital, de forma síncrona e assíncrona. Nos últimos anos e, especialmente, neste longo período de confinamento, avançamos muito na percepção e experimentação de que podemos ensinar e aprender de forma muito mais flexível, personalizada, humanizada e colaborativa, combinando e integrando diversos espaços, tempos, metodologias e maneiras de avaliar. Apesar das muitas contradições, carências e profunda desigualdade econômica, tecnológica e educacional, está havendo um crescimento consistente de projetos pedagógicos interessantes, flexíveis, ativos, com foco no desenvolvimento de competências e valores. Percebemos que muitas das atividades que imaginávamos que só seriam viáveis n

INOVANDO NA EDUCAÇÃO COM MODELOS FLEXÍVEIS – SEMINÁRIO ONLINE

O que muda na educação a partir de agora? Como implementar modelos híbridos e flexíveis no movimento da educação criativa e empreendedora? Como acelerar o processo de mudança das pessoas e das instituições. Discutimos, neste Seminário, estratégias de como inovar na educação a partir de alguns cases interessantes, de referências importantes e de textos do Prof. Moran.  Tivemos três turmas desse seminário, com grande participação. A próxima turma acontecerá no mês de julho. O link com informações e inscrição é este: bit.ly/seminariomoran4 Por enquanto leia o t exto introdutório: Avanços e desafios na educação híbrida disponível em:  http://www2.eca.usp.br/moran/?page_id=22 Moran

Educação híbrida: um conceito chave para a educação, hoje José Moran

  Texto meu publicado no livro Ensino Híbrido: Personalização e Tecnologia na Educação,  organizado por BACICH, TANZI & TREVISANI – Porto Alegre: PENSO, 2015, Págs. 27-45. O texto traz alguns insights que hoje me parecem ser mais evidentes que quando o escrevi pela primeira vez. Muitas misturas Híbrido significa misturado, mesclado, blended. A educação sempre foi misturada, híbrida, sempre combinou vários espaços, tempos, atividades, metodologias, públicos. Esse processo agora, com a mobilidade e conectividade, é muito mais perceptível, amplo e profundo: é um ecossistema mais aberto e criativo. Podemos ensinar e aprender de inúmeras formas, em todos os momentos, em múltiplos espaços. Híbrido é um conceito rico, apropriado e complicado. Tudo pode ser misturado, combinado e podemos, com os mesmos ingredientes, preparar diversos “pratos” com sabores muito diferentes. A mistura mais complexa é o que vale a pena aprender, para que e como. O que vale a pena? Que conteúdos, competên